A história da cerveja

Os egípicios decobriram uma das bebidas mais consumidas no mundo

Por Kamilla Palhano

A cerveja tem uma história longa, remota ao Antigo Egito, quando o homem descobriu, ao sabor do acaso, o processo de fermentação, e desde então não parou de consumir essa bebida. Para alguns estudiosos, as próprias pirâmides foram construídas ao custo de muitos e muitos litros de cerveja, e esta bebida, teria causado a primeira revolução agrária do mundo! Mais tarde, os padeiros, devido à natureza dos ingredientes, tornaram-se mestres cervejeiros. O processo de fabricação era fácil, o que justifica seu surgimento tão despretensioso. A cevada era deixada de molho até germinar e, então, moída grosseiramente, moldada em bolos aos quais se adicionava a levedura. Os bolos, após parcialmente assados e desfeitos, eram colocados em jarras com água e deixados fermentar, e vualá, estava pronta a bebida fermentada mais consumida no mundo!

Entrando um pouco mais na história, há evidências de que a prática da cervejaria originou-se na região da Mesopotâmia onde a cevada cresce em estado selvagem. Os primeiros registros de fabricação de cerveja têm aproximadamente seis mil anos e remetem aos Sumérios, o povo que habitava a mesopotâmia. Documentos históricos mostram que em2100 a.C. os sumérios alegravam-se com uma bebida fermentada, obtida de cereais, que era a base da alimetação desse povo. Na Suméria, cerca de 40% da produção dos cereais destinavam-se às cervejarias chamadas “casas de cerveja”, mantidas por mulheres. Os egípcios logo aprenderam a arte de fabricar cerveja e carregaram a tradição no milênio seguinte, agregando o líquido à sua dieta diária.

A cerveja produzida naquela época era bem diferente da de hojeem dia. Eraescura, forte e muitas vezes substituía a água, visto que era mais seguro consumir a cerveja do que a água, que estava sujeita a todos os tipos de contaminação, causando diversas doenças à população.

A expansão definitiva da cerveja se deu com o Império Romano, que se encarregou de levá-la para todos os cantos onde ainda não era conhecida. Júlio César era um grande admirador da cerveja e, em49 a.C., depois de cruzar o Rubicão, ele deu uma grande festa a seus comandantes, na qual a principal bebida era a cerveja. Já à César,  é atribuída a introdução de cerveja entre os britânicos, pois quando ele chegou à Britânia, esse povo apenas bebia leite e licor de mel. Através dos romanos a cerveja também chegou à Gália (hoje a França). E foi aí que, definitivamente, a bebida ganhou seu nome latino o qual conhecemos hoje. Os gauleses denominavam essa bebida de cevada fermentada de “cerevisia” ou “cervisia” em homenagem a Ceres, deusa da agricultura e da fertilidade.

Na Idade Média, os conventos assumiram a fabricação da cerveja que, até então, era uma atividade familiar, como cozer o pão ou fiar o linho. Pouco a pouco, à medida que cresciam os aglomerados populacionais e que se libertavam os servos, entre os séculos VII e IX, começaram a surgir artesãos cervejeiros, trabalhando principalmente para grandes senhores e para abadias e mosteiros. O monopólio da fabricação da cerveja até por volta do século XI continuou com os conventos que desempenhavam relevante papel social e cultural, acolhendo os peregrinos de outras regiões. Por isso, todo monastério dispunha de um albergue e de uma cervejaria. Os monges por serem os únicos que reproduziam os manuscritos da época, puderam conservar e aperfeiçoar a técnica de fabricação da cerveja.

Com o aumento do consumo da bebida, os artesãos das cidades começaram também a produzi-la, o que levou os poderes de públicos a se preocupar com o hábito de se beber cerveja. As tabernas ou cervejarias eram locais onde se discutiam assuntos importantes e muitos negócios concluíam-se entre um gole e outro de cerveja. A partir do séc. XII pequenas fábricas foram surgindo nas cidades europeias e com uma técnica mais aperfeiçoada, os cervejeiros já sabiam que a água tinha um papel determinante na qualidade da cerveja. Assim a escolha da localização da fábrica era feita em função da proximidade de fontes de água muito boa.

A cerveja é mais antiga do que muitos pensam

Viu, a história da cerveja é bem mais antiga e interessante do que se pensava!

Falar tanto de cerveja deu água na boca! Então vale fazer um pitstop para uma cervejada. Depois volte aqui e leia as dicas para evitar aquela ressaca (mais cedo ou mais tarde você vai me agradecer!).

Dicas para curar a Ressaca

Não fique de bode, descubra como curar a ressaca!

Para antes e durante:
1Beba água entre uma cerveja e outra. É importante manter o corpo hidratado sempre. O álcool desidrata o corpo e a cerveja, diurética, nos faz eliminar muito líquido, portanto você precisa reabastecer com frequência.

2- Não beba de estômago vazio. Como a bebida diminui o nível de açúcar no sangue, comer é importantíssimo para que o organismo não saia do seu nível normal. Comer antes de dormir também

Para durante e depois:

1– Beba muita água antes de dormir. Muitas vezes a dor de cabeça do dia seguinte é desidratação causada pelo álcool. Beba no mínimo de 2 a 3 copos.

2– Aspirina ou outro analgésico – pílulas ou efervescentes, ajudam a combater a dor de cabeça.

3– Antiácidos – eles ajudam caso seu estômago apresente sinais de irritação

4– Café, chá, Coca-Cola – para reanimar. Além disso, tais líquidos te manterão hidratados também.

5– Coma bem no dia seguinte. Evite gorduras e comidas pesadas – seu estômago já está sofrendo o suficiente – mas não deixe de comer. Comer um pouco antes de dormir também ajuda algumas pessoas.

6– Dê um intervalo de 48 horas. A história de que a “rebatida” cura tudo pode até ter um fundinho de verdade, mas ninguém aqui quer terminar doente ou sócio do AA.

Veja também:

Anúncios